Quais os motivos para se ser vegetariano?

Quais os motivos para se ser vegetariano?

Ser vegetariano nunca foi um tema tão importante como nos tempos de hoje. As mudanças climáticas são um dos fatores que levam as pessoas a repensarem os seus hábitos alimentares, mas o fator-chave para uma mudança definitiva é, na maior parte das vezes, o confronto com a origem da nossa comida e as consequências que isso tem no nosso corpo. Deste modo, os três principais motivos do vegetarianismo são a saúde, a ética e o ambiente.

Primeiramente, não existem pessoas 100% amigas do ambiente, o passo para o vegetarianismo não começa com “Como é que vou ser a pessoa mais sustentável do mundo?”, mas sim com “Como é que posso melhorar os meus hábitos?”. Uma mudança destas não implica um grande stress - é uma jornada que deve ser levada com calma. Take it easy!

Quanto à saúde, existe ainda controvérsia sobre se ser vegetariano é bom ou não para nós, no entanto isso depende principalmente sobre se as pessoas comem calorias suficientes, pois alimentos à base de plantas têm geralmente, menos calorias do que alimentos à base de animais – e o quão informados estão sobre que alimentos devem comer para substituir carne e peixe. Uma das coisas que senti quando me tornei vegetariana foi a variedade de pratos que tinha começado a incluir no meu dia-a-dia, em vez do típico bife com arroz ou massa. Caril de legumes, beringela recheada, lasanha de legumes, bolonhesa de lentilhas, "chili sin carne", tacos, noodles salteados, seitan à alentejana, alho francês à brás, paella vegetariana, entre muitos outros. 

A chave para uma dieta vegetariana bem feita é ter muita informação de vários livros e documentários. Os livros de receitas vegetarianas, na sua maioria, têm informações úteis sobre onde encontrar certos nutrientes para ter uma alimentação completa. Os documentários que melhor demonstram o impacto do vegetarianismo na saúde são o "What the Health", "Forks over knives" e "The Game Changers" que abordam temas como reverter doenças, melhorar o desempenho de atletas e sentirmo-nos melhor com o nosso corpo. Para além disso, hoje em dia os nossos pratos favoritos podem todos ser “veganizados”, o que é ótimo para quem esteja a fazer a sua transição, mas não quer deixar de comer aquilo que mais gosta.

Quanto aos animais, todos concordamos que o sofrimento não é algo bom. Existem vários documentários que expõem a verdade sobre o que acontece em matadouros e o facto de esse stress e más condições também não ser benéfico para quem acaba por comer a carne. Ao vermos "Earthlings" e "The Ghosts in our machine" podemos pensar que em Portugal os nossos animais não são tratados assim, no entanto a recente reportagem da RTP "E se nós falássemos?" leva-nos a perceber o contrário. Este é um tema que cabe a cada um de nós ser sensibilizado através do confronto com as filmagens feitas nestes documentários e reportagens.

Relativamente ao ambiente, esta é uma das razões de o vegetarianismo ser cada vez mais um tema “da moda”. A indústria do leite e da carne são das indústrias com mais emissões poluentes e com maior impacto nas alterações climáticas. Isto tem origem na desflorestação de áreas verdes para a instalação das infraestruturas da indústria, a plantação de soja para alimentar os animais, a água usada para plantar a soja e para hidratar os animais, durante anos. Este assunto é abordado em documentários como "Cowspiracy" e "Seaspiracy", disponíveis na Netflix, o primeiro focado na indústria da carne e do leite e o segundo focado na pesca.

Para além disto, é importante manter em atenção tanto às reações que o corpo tem durante a transição como fazer análises ao sangue de 6 em 6 meses, de modo a controlar a fase inicial e saber se há algo que deve mudar na rotina do dia-a-dia. Caso tenha algum problema nas suas análises deve consultar um médico ou nutricionista para perceber a raiz do problema e obter uma solução para a mesma. Ao fazer uma dieta vegetariana completa e informada é raro ter algum problema depois, mas ao início também é normal fazer erros, porque é um tipo de alimentação ao qual não estávamos habituados.

Concluindo, o vegetarianismo é algo que todos devemos considerar e ao mesmo tempo manter as devidas precauções. Hoje em dia, as opções vegetarianas e veganas no supermercado estão cada vez mais extensas e os médicos estão também menos céticos sobre os benefícios deste tipo de dieta, aconselhando cada vez menos o consumo de alimentos de origem animal.

Pitch: Chamo-me Rita Pacheco, tenho 19 anos e sou estudante de gestão no ISEG. A sustentabilidade é um tema do meu interesse há vários anos e entrei na Forall Family em Março de 2020 com o objetivo de criar impacto na comunidade e no mundo. Um ano mais tarde, em Março de 2021 tornei-me Team Leader.

 

Autor: Rita Pacheco

Revisto por: André Castro

Sobre o Autor:

Chamo-me Rita Pacheco, tenho 19 anos e sou estudante de Gestão no ISEG. A sustentabilidade é um tema do meu interesse há vários anos e entrei na Forall Family em Março de 2020 com o objetivo de criar impacto na comunidade e no mundo. Um ano mais tarde, em Março de 2021 tornei-me Team Leader.

Artigo anterior Worldo, o caminho para a mudança!
Próximo artigo 6 Apps iOS Que te Podem Tornar um Verdadeiro Artista!

Deixe o seu comentário

* Campos obrigatórios